23 de dez de 2011

PARA REFLETIR

Um dia já fui um Rei,
E me achava um Deus.
Numa cavalgada levei um tombo,
Na queda acordei.
Percebi que era normal,
Que nunca passei de um plebeu!

  Autoria: Edmundo de Souza

16 de dez de 2011

OLHANDO PARA O UNIVERSO



Neste fim de ano, também olharei
para o Universo, e primeiro irei
lamentar, o que de pior poderia
ter acontecido comigo, por te perder.

Te perdi, por apesar de ter orgulho
do sangue ítalo/mouro que corre
em minhas veias, ele esquentou
demais, por ver – te tão desrespeitada,
que por consequência deu no deu.

Não sou brasileiro tipico, não tenho
essa coisa de “ jogo de cintura “,
pragmático demais, sou extremamente
sincero e justo, a minha maneira,
e por te Amar tanto, impus minha
opinião, e agora tive as consequências
disto.

E o que restou disto, foi sua nova
empreitada, que é “ Me esquecer “,
ter ódio de mim, me desprezar
e me ferir com isso, e sabe que conseguiu.

Mas também agradecerei, ao Universo
por ter convivido contigo, nesses dois
anos de nossa existência, que desbrotou
em mim o Amor mais maravilhoso que
jamais senti por alguém.

E não tem nada que você faça, ou melhor
não faça, ira tirar o Amor que tenho
por você, isso ninguém ira tirar.

A vida segue, e a tua sera bem melhor
que a minha, por que você se livrou
de mim, mas eu não me arrependo
de nada, porque tive a Coragem de
lutar por você, lutar por nós, mas
no fim só eu lutei e esse é o nosso
destino.

Mas não canso de dizer, terei as
tuas lindas e maravilhosas lembranças,
com lagrimas “ Amargas “ de Saudades
“ Doce “.

M.A. Tisi

11 de dez de 2011

A Alavanca de Ouro


Dizem que outrora, numa lavra funda,
Viu-se aqui, toda de ouro, uma alavanca:
todos a querem, mas ninguém a arranca,
e mais se cava, tanto mais se afunda.

Contudo, cavam sempre...E a ganga imunda,
que nessa escavação se desbarranca,
vai dando ouro, muito ouro, e não se estanca,
té que o arraial feliz de ouro se inunda.

Quanta sabedoria não encerra
esta lenda gentil de minha terra,
que ao trabalho e à constância nos convida!

Trabalha! Que o trabalho é o teu tesouro,
e será ele essa "alavanca de ouro ",
que há de elevar-te e enriquecer-te a vida!

Dom Aquino Correia

A Aeronave


Cindindo a vastidão do Azul profundo,
Sulcando o espaço, devassando a terra,
A Aeronave que um mistério encerra
Vai pelo espaço acompanhando o mundo.

E na esteira sem fim da azúlea esfera
Ei-la embalada n'amplidão dos ares,
Fitando o abismo sepulcral dos mares,
Vencendo o azul que ante si s'erguera.

Voa, se eleva em busca do infinito,
É como um despertar de estranho mito,
Auroreando a humana consciência.

Cheia da luz do cintilar de um astro,
Deixa ver na fulgência do seu rastro
A trajetória augusta da Ciência.

Augusto dos Anjos