23 de dez de 2011

PARA REFLETIR

Um dia já fui um Rei,
E me achava um Deus.
Numa cavalgada levei um tombo,
Na queda acordei.
Percebi que era normal,
Que nunca passei de um plebeu!

  Autoria: Edmundo de Souza

16 de dez de 2011

OLHANDO PARA O UNIVERSO



Neste fim de ano, também olharei
para o Universo, e primeiro irei
lamentar, o que de pior poderia
ter acontecido comigo, por te perder.

Te perdi, por apesar de ter orgulho
do sangue ítalo/mouro que corre
em minhas veias, ele esquentou
demais, por ver – te tão desrespeitada,
que por consequência deu no deu.

Não sou brasileiro tipico, não tenho
essa coisa de “ jogo de cintura “,
pragmático demais, sou extremamente
sincero e justo, a minha maneira,
e por te Amar tanto, impus minha
opinião, e agora tive as consequências
disto.

E o que restou disto, foi sua nova
empreitada, que é “ Me esquecer “,
ter ódio de mim, me desprezar
e me ferir com isso, e sabe que conseguiu.

Mas também agradecerei, ao Universo
por ter convivido contigo, nesses dois
anos de nossa existência, que desbrotou
em mim o Amor mais maravilhoso que
jamais senti por alguém.

E não tem nada que você faça, ou melhor
não faça, ira tirar o Amor que tenho
por você, isso ninguém ira tirar.

A vida segue, e a tua sera bem melhor
que a minha, por que você se livrou
de mim, mas eu não me arrependo
de nada, porque tive a Coragem de
lutar por você, lutar por nós, mas
no fim só eu lutei e esse é o nosso
destino.

Mas não canso de dizer, terei as
tuas lindas e maravilhosas lembranças,
com lagrimas “ Amargas “ de Saudades
“ Doce “.

M.A. Tisi

11 de dez de 2011

A Alavanca de Ouro


Dizem que outrora, numa lavra funda,
Viu-se aqui, toda de ouro, uma alavanca:
todos a querem, mas ninguém a arranca,
e mais se cava, tanto mais se afunda.

Contudo, cavam sempre...E a ganga imunda,
que nessa escavação se desbarranca,
vai dando ouro, muito ouro, e não se estanca,
té que o arraial feliz de ouro se inunda.

Quanta sabedoria não encerra
esta lenda gentil de minha terra,
que ao trabalho e à constância nos convida!

Trabalha! Que o trabalho é o teu tesouro,
e será ele essa "alavanca de ouro ",
que há de elevar-te e enriquecer-te a vida!

Dom Aquino Correia

A Aeronave


Cindindo a vastidão do Azul profundo,
Sulcando o espaço, devassando a terra,
A Aeronave que um mistério encerra
Vai pelo espaço acompanhando o mundo.

E na esteira sem fim da azúlea esfera
Ei-la embalada n'amplidão dos ares,
Fitando o abismo sepulcral dos mares,
Vencendo o azul que ante si s'erguera.

Voa, se eleva em busca do infinito,
É como um despertar de estranho mito,
Auroreando a humana consciência.

Cheia da luz do cintilar de um astro,
Deixa ver na fulgência do seu rastro
A trajetória augusta da Ciência.

Augusto dos Anjos

18 de jul de 2011

Um Selinho para Você # 2




Fiz esse selinho fofo para todas as minhas amigas, estejam a vontade pra pegar e compartilhar.

Namorado


Eu penso em ti,
contemplando a aurora,
No fim de tarde,
a toda hora eu penso em ti,

Caminhando à margem do rio,
sinto um profundo vazio,
E sozinho em meu caminho,
eu penso em ti.

Eu penso em ti,
com a cabeça ao travesseiro,
No trabalho,
o tempo inteiro,

Eu penso em ti,
Quando ouço uma canção,
você invade meu coração,
E entre lembranças e esperanças,
eu penso em ti.

Eu penso em ti,
numa roda de amigos,
Recordando fatos antigos,
eu penso em ti,

Foragido noutros braços,
beijando outras bocas,
Dançando com alguém,
por mal ou por bem,
Eu penso em ti.

Quisera aprender a te esquecer,
ou pelo menos pensar
Que você não existe,
mas a saudade insiste...
E novamente eu penso em ti.

Eu penso em ti,
quando não quero pensar,
Confesso que muitas vezes dá raiva de lembrar,
Mas... Eu penso em ti,

O que é que eu vou fazer?

Eu penso em ti,
Eu penso em ti
Porque não dá pra te esquecer.

11 de fev de 2011

Dica de Livro -> Poesia Fora da Estante - Volume 1


I.S.B.N.: 8585500093
Cód. Barras: 9788585500092
Reduzido: 410905
Altura: 23 cm.
Largura: 15 cm.
Profundidade: 0,8 cm.
Acabamento : Brochura
Faixa Etária : Infanto-juvenil
Edição : 12 / 2006
Idioma : Português
País de Origem : Brasil
Número de Paginas : 124


De R$ 26,00
Por R$ 24,70 na Livraria Siciliano

Sinopse:

Esta é uma antologia de poesia brasileira para crianças, que reúne trinta escritores. Serão encontros e reecontros inesquecíveis.

TRILOGIA DO AMOR – DOAÇÃO


… Espalha amor-semente em suas trilhas
o ser abençoado que se doa
a um plano todo luz, de maravilhas,
envolto a amenidades, aura boa.

Sente o dulçor, sabores das partilhas
nas convivências sóis, de paz à proa,
qual terna proteção de lar, famílias;
cintilam estrelinhas na pessoa...

Floradas, despertar, manhãs douradas,
com pássaros cantando em revoadas,
cessando as cinzas, sombras vis, ignaras.

Se acaso surjam cortes doloridos,
compraz, esculpe abraços, bens sentidos,
o amor derrama vida em fontes claras...

Marco Aurelio Vieira

6 de fev de 2011

Pedras Em Meu Caminho


E as pedras em meu caminho, o que faço com todas elas?...
Fácil seria dar um pontapé em cada uma atirando-as ao escanteio, mas, são grandes demais para meus sensíveis esforços. Seu peso traz valores redundantes e essenciais para meu exercício diário de fé, paciência, amor ao próximo, valorização da ética, moral, enfim...
As coisas são do jeito que tem de ser, as pedras continuam em meu caminho e eu, delicada e respeitosamente as contorno para não feri-las.


Eriem Ferrara

Meu Coração


Ai, coração.....

E agora, o que eu faço?
Você bate tão de mansinho, quase não o ouço....

Tão baixinho, tão escondido, não te sinto....

Estou de volta a minha solidão
Ela sorri e me abraça.

É tão frio seu abraço, tão vazio
E tão cheio de nada....
Chove, coração...

Esta ouvindo?
Até parece que a natureza adivinha...

Ela é sábia, pois traduz
O que estou sentindo,
Pois as lágrimas que verti por dentro,
Estão lá fora, inundando o mundo.

De repente, quem sabe,
A chuva que agora ouço,
Pode servir de cobertor
Aos solitários,
Aos sem ninguém
E que, por terem a solidão como companheira
E não terem ninguém com quem compartilhar-se
Sentem mais que muita gente
Sentem mais profundamente.

E agora, coração?
Quem vai ouvir o meu grito?
E entender o meu pranto?

Não existe mais o acalanto,
Não existe mais o aconchego
Não existe mais o ombro amigo.

E agora, coração?
O que faço?

Sou forte,
Mas também,
Sou criança.

4 de fev de 2011

Anuncio # 1

Todos sabem que sou louca por poesias. leio poesias desde muito cedo. Sempre arrisquei a escrever algumas poesias. Então agora, como o incentivo de alguns amigos da net, eu resolvi fazer um livro com alguma das minhas poesias. Meu amigo Reinaldo, fez a capa para mim, que por sinal está linda. O livro ainda está em construção, mas assim que estiver terminado eu aviso a todos para dar uma olhadinha no meu livro. Enquanto isso vou sair a procura de uma editora. Obrigados a todos pela atenção.


Estou super FELIZ!! 

2 de fev de 2011

Amigo


Ter amigos é saber
que tenho com quem contar
seja nos momentos fáceis
ou difíceis da vida.
Pode parecer que ser
amigo não é especial mais
é ai que nós nos enganamos
ser amigo é especial porque
temos a confiança de uma pessoa.
Amigo é aquela pessoa que temos
que guardar a sete chaves
porque não se encontra em
qualquer esquina pois eu tenho
orgulho em ter você como
AMIGO.


Andrey Porcino

Vampiros



Eles chegaram...
Pediram amizade
Fala mansa, amáveis
Em pouco tempo
Conquistaram
Hipnotizaram
Pediam e conseguiam
Aproveitaram, usufruíram
Que triste!
Não eram amigos
Só vampiro...

verdades e mentiras

20 de jan de 2011

Um Selinho Para Você # 1

Fiz esse selinho para as pessoas que gostam de ler poesias.

Dedico esse selinho para minhas amigas de Blog.

Lídia
Cinha

Loucura insensata



Não desenhe a tua loucura
para seduzir o que não sinto por ti
Se mostre para mim
como pessoa madura
cujo mundo com seus espinhos
perfurou tua alma dura

Se mostre assim...
sem tintas para escrever
uma nova história,
sem risos preliminares,
com medo dos meus olhares
Que eu te ajudo sim!

Mas, afasta de mim essa loucura,
que de dia propõe cama
e a noite é só escamas
que ficam em minhas mãos...
quando penso que entrei no mar
e envolvi e resgatei...
Só lama.
Ada Mendes

13 de jan de 2011

Dica de Livro ->Poesias Fernando Pessoa

Poesias Fernando Pessoa

Por: R$ 15,00  na livraria Submarino

Descrição

Poesias

"Navegadores antigos tinham uma frase gloriosa: ´Navegar é preciso, viver não é preciso´. Quero pra mim o espírito desta frase, transformada a forma para a casar com o que eu sou: Viver não é necessário; o que é necessário é criar.
Não conto gozar a minha vida; nem em gozá-la penso. Só quero torná-la grande, ainda que para isso tenha de ser o meu corpo e a minha alma a lenha desse fogo.
Só quero torná-la de toda a humanidade; ainda que para isso tenha de a perder como minha.
Cada vez mais assim penso. Cada vez mais ponho na essência anímica do meu sangue o propósito impessoal de engrandecer a pátria e contribuir para a evolução da humanidade.
É a forma que em mim tomou o misticismo da nossa raça."

Seleçãos
Sueli Barros Cassal

Editora: L&PM
Autor: FERNANDO PESSOA
ISBN: 9788525406170
Origem: Nacional
Ano: 1996
Edição: 1
Número de páginas: 134
Acabamento: Brochura
Formato: Bolso

Mapa do amor


No imaginário desenho,
a trilha para encontrar.
E neste caminho me empenho,
para teu amor provar...

Um caminho sem interdição,
nem regras, nem contramão.
Num percorrer de carícias,
exponho me com malícias...

Nos meus sonhos vejo miragens,
mas o oásis sei que vou ter.
Desenhei o mapa das minhas viagens,
do teu corpo não vou me perder...

Lucia Liz

Amor


Quero ser em sua vida Amor constante
Que mesmo que estejamos distantes
Possa sentir minha presença...
Que nada tire de você a certeza
Que neste amor há toda uma beleza
Que o faz ser por toda vida...
Quero ser seu sorriso mais bonito
Seu chão, seu pão, seu céu, seu infinito
Pois você é meu lado sem defeito
Meu mundo de Paz, mundo perfeito...
Flor do meu jardim
De um inigualável colorido
Cheiro suave de jasmim
Meu perfume preferido...
Você é meu raio de sol
Meu raio de luar, minha luz
Que me aquece, ilumina e conduz...
Você é tanto que não me canso
De buscar algo para comparar
Mas tudo fica tão pequeno
Quando tento explicar
Meu jeito de te amar...
E, tudo que preciso
É ver sempre o seu sorriso
Cada vez que por você eu chamo
E ouvir você dizer
Assim também te amo...

(Célia Jardim)